sábado, 5 de setembro de 2009

O filme queimado de Chavez


Barack Obama? Mahmoud Ahmadinejad? Lula? De longe o mais comentado líder de Estado do mundo é Hugo Chavez.

O homem que quer implantar a revolução bolivariana na América Latina terá um documentário a seu respeito sendo exibido no Festival de Cinema de Veneza. Em contra partida milhares de pessoas foram às ruas, ontem, protestar sobre as declarações feitas pelo presidente venezuelano sobre as bases militares norte-americanas na Colômbia.

O diretor americano Oliver Stone, vai exibir amanhã e segunda-feira o documentário dirigido por ele, chamado"South of the border" (Ao sul da fronteira). No filme, que tem 74 minutos de duração, há depoimentos de Lula, Evo Morales, do casal Kirchner e do presidente do paraguaio Fernando Lugo.

Segundo o diretor de Nascido em 4 de julho, a intenção do filme é mostrar que Chavez não é o inimigo público número um que os EUA temem. A exibição do filme em Veneza será acompanhada de perto por representantes do governo venezuelano. Ainda não está confirmada a presença do presidente que está em visita a países dos Oriente Médio.

Já nas ruas de Bogotá e de Caracas representantes da classe média e alta das duas cidades foram às ruas para mostrar a impopularidade dos atos de Hugo Chavez.

Em Bogotá, centro dos protestos, milhares de manifestantes se vestiram de branco e carregavam placas com frases contra Chávez. Além da questão das bases americanas, os ativistas ainda criticaram as políticas de educação e a violência no país.

Além de Colômbia e Venezuela, protestos ocorreram também em cidades como Madrid, Nova York, Paris, Bruxelas, Toronto, Buenos Aires e Tegucigalpa, mas em menor escala.

Basta saber agora se estes manifestantes poderão assistir o documentário de Oliver Stone em algumas das emissoras de TV perseguidas pelo governo venezuelano.

Um comentário:

mulherpolvo disse...

Eu tenho medo do Chavez. Prontofalei!